sexta-feira, 28 de março de 2014

Deixe o contrato de locação de imóvel por conta do Writer




Um contrato de locação é aquele contrato pelo qual uma das partes (locador) se obriga a ceder à outra (locatário), por tempo determinado ou não, o uso e gozo de coisa não fungível, mediante certa retribuição. Trata-se de contrato bilateral, oneroso (mediante pagamento), consensual (a obrigação surge no acordo de vontade), comutativo, diferido no futuro e não solene (pode ser verbal, por exemplo).

Os modelos de contratos de locação residencial e comercial apresentados aqui, no Blog +Valeu Cara, foram feitos usando-se o recurso de formulários, no Writer. Por isso, seu preenchimento visa facilitar a relação entre o inquilino e o proprietário, possibilitando um acordo básico dentro do que é previsto nos dispositivos presentes na Lei do Inquilinato (Lei 8.245 de 18 de outubro de 1991, com alterações da Lei nº 12.112 de 9 de dezembro de 2009).

sábado, 22 de março de 2014

Explore o universo sem sair de casa




Planetas, estrelas, asteroides, galáxias, cometas e até sondas especiais... Já pensou poder dar uma voltinha pelo espaço e conhecer o sistema solar e até viajar a outras estrelas? Júpiter fica logo ali. E que tal dar uma passadinha por Saturno antes de retornar para a Terra e pegar uma carona na Estação Espacial Internacional? Se você acha impossível, não sabe o que está perdendo! Tudo está ali, a um clique do mouse. E tem mais! Tudo com visualização em 3D, ou seja, você pode literalmente orbitar em qualquer corpo celeste.

Abaixo segue uma lista dos principais softwares livres usados na área de astronomia. Alguns necessitam de conhecimentos técnicos para poder compreendê-los. Outros, porém, são o xodó do público amante das estrelas.

sábado, 15 de março de 2014

Leve seus vídeos para o aparelho de DVD de forma rápida e sem firulas



Sabe aquele monte de vídeos espalhados no HD do seu notebook, no cartão de memória do seu celular, no tablet do irmão, na câmera fotográfica do primo, etc, etc, etc...? Na hora de querer mostrar para os amigos é um sufoco não é?

E aquelas vídeo-aulas que você baixou da internet e gostaria de colocar numa mídia de DVD, para depois poder assistir na TV ou emprestar para um colega? Ah e tem também todos aqueles filmes que você baixou via torrent, não é mesmo? Bem, não vou entrar aqui no mérito ético (e legal) da questão sobre pirataria. As questões sobre pirataria e partilhas (torrents) são um assunto prá lá de delicado e que facilmente levanta debates acirrados e muita polêmica - e por isso mesmo não vou entrar em deliberações. Mas também não vai ser por isso que vou me omitir de mostrar o uso de um software, cuja finalidade principal é converter o arquivo de qualquer vídeo que existir por aí para o formato de DVD - tarefa que ele cumpre com perfeição. O que será gravado, aí é algo que não me cabe ficar aqui discutindo.

Bom, saindo do dilema moral, vamos ao que interessa. Hoje iremos aprender como dar um jeito nesses vídeos, usando o software DeVeDe. É assim mesmo que o nome dele é escrito - 'DeVeDe'. Não irei explorar minuciosamente todos os recursos desse programa, até porque recurso é algo que ele tem de sobra. Irei direto ao ponto que interessa à maioria dos utilizadores: pegar um vídeo qualquer e levá-lo para uma mídia de DVD, para depois ser reproduzido na TV, através do aparelho de DVD. Isso de forma rápida, sem frescuras e com direito até a um menu.

Devo dizer que todo este tutorial é baseado no Ubuntu. Mas mesmo que você use outra distribuição do Linux, não terá dificuldade alguma em acompanhar o texto. O DeVeDe também possui versão para Windows, mas como este blog é voltado ao software livre, a prioridade será sempre especificar as condições de uso do software dentro de um sistema operacional também livre.

Figura 1

O DeVeDe é um programa para a criação de DVDs, VideoCDs, Super VideoCDs, CVDs e discos DIVX e MPEG-4.

A ferramenta suporta como entrada os formatos mais populares de vídeo, ou seja o MPEG, VOB, AVI, OGG, OGM, WMA, WMV, QT, MOV, MP4, MKV e até o badaladíssimo FLV, que é o formato utilizado por sites de compartilhamento de vídeos como o YouTube. Por aí você já deve perceber o poder deste software. Ao aceitar FLV, ganhamos uma imensa vantagem de evitarmos a necessidade de ter que converter o vídeo para um formato intermediário antes de podermos gerar o disco. O MP4 também é outro formato de vídeo bastante popularizado e que está difundido em tudo quanto é canto - e que o programa DeVeDe encara num boa. Mas há ainda outros formatos de vídeo não tão conhecidos e que para o DeVeDe não é problema algum - como o exótico e inovador MKV por exemplo. Pode colocar lá no software para ele converter que ele topa, sem reclamar!

O aplicativo tem um jeitão de simples, mas não se engane - ele oferece recursos para lá poderosos!

sábado, 8 de março de 2014

Instalando algumas aplicações importantes e imprescindíveis no seu Ubuntu


Artigos semelhantes a este já existem aos montes em blogs e sites de computação espalhados pela web. Por isso não pretendo ficar martelando o mesmo prego. Meu objetivo neste artigo não é repetir novamente todas aquelas etapas que já foram abordadas à exaustão, como atualizar o sistema, alterar repositórios, ajustar configurações de energia, criar conta no Ubuntu One, mudar posição de botões, instalar drivers adicionais, tweaks e programinhas bacanas. Minha intenção é falar realmente da parte que considero imprescindível - embora esse fator possa variar de um usuário para outro. Por isso também tentarei ser flexível ao máximo.

Para quem é usuário iniciante do Ubuntu, abaixo estão algumas instruções preciosas e que são válidas para a maioria das últimas versões lançadas.

Você acabou de instalar seu Ubuntu e está super animado para tirar proveito de todos os recursos que este excelente sistema operacional pode oferecer. Basicamente, você quer ter disponível programas / plugins / codecs para ouvir suas músicas preferidas, assistir videoclipes e DVDs de filmes, assistir aos vídeos do Youtube, etc. Neste artigo o objetivo não é aplicar alterações profundas no visual do sistema e muito menos sair instalando tweaks ou uma montoeira de softwares inúteis - mas sim tentar deixar seu Ubuntu bem completo para encarar qualquer tarefa trivial.

O Ubuntu já traz por padrão um conjunto elementar de softwares e codecs para que seu micro seja utilizável nas funções básicas daquilo que se espera de um sistema operacional, ou seja, logo após a instalação, você já poderá navegar na web, criar e editar documentos, ouvir músicas, visualizar fotografias, enfim, fazer aquelas tarefas cotidianas de todo mortal na frente de um computador.

Ora, se é assim, então para que instalar mais coisas? Bom, a verdade é que o Ubuntu traz o essencial - e isto significa o essencial mesmo, ou seja, apenas àqueles aplicativos mais comuns a todo e qualquer tipo de usuário. Se a Canonical -  a empresa responsável pelo Ubuntu - fosse agradar a todos os gostos teria que fornecer um DVD abarrotado de programas e isso certamente implicaria a inclusão de muitos softwares que não teriam qualquer utilidade alguma para a maioria das pessoas. Por outro lado, o conjunto que vem por padrão na instalação do Ubuntu, costuma significar uma limitação grande demais para grande parte dos usuários mais exigentes.

 Se você for um estudante universitário da área de ciências da computação, por exemplo, certamente vai querer usar o Lazarus e uma calculadora capaz de realizar cálculos binárias e hexadecimais; um produtor musical irá precisar do Ardour; e um desenhista gráfico irá depender do Gimp, Inkscape e do Scribus. Então a questão do que é um software imprescindível é um fator bastante relativo. Entretanto, em meio a todos os gostos e necessidades, não há quem resista a uma boa música ou um filme de vez em quando. Só que o conjunto que vem no Ubuntu é possível que esbarre em algum arquivo de formato não compatível, principalmente se durante a instalação você não selecionou a opção de instalar softwares de terceiros. Além disso, vale mencionar que muitos outros softwares não podem vir por padrão no Ubuntu devido a restrições legais de licenciamento, mas nada o impede que você mesmo o instale posteriormente de maneira absolutamente legal. Então, vamos ao que interessa!


domingo, 2 de março de 2014

Arte em vetor: entardecer no Rio de Janeiro


Aqui está mais um ótimo exemplo do poder do Inkscape - o mais famoso software livre para editoração eletrônica de imagens e documentos vetoriais.

Acima você vê uma paisagem do entardecer no Rio de Janeiro, com o Morro do Corcovado e a estátua do Cristo Redentor (à direita), a Lagoa Rodrigo de Freitas (à esquerda) e ao fundo a praia de Ipanema. Apesar de toda a beleza, a imagem acima não é real - ou falando num modo mais coerente - não se trata de uma fotografia! Trata-se de um desenho vetorial totalmente construído usando recursos do Inkscape.