sábado, 8 de março de 2014

Instalando algumas aplicações importantes e imprescindíveis no seu Ubuntu


Artigos semelhantes a este já existem aos montes em blogs e sites de computação espalhados pela web. Por isso não pretendo ficar martelando o mesmo prego. Meu objetivo neste artigo não é repetir novamente todas aquelas etapas que já foram abordadas à exaustão, como atualizar o sistema, alterar repositórios, ajustar configurações de energia, criar conta no Ubuntu One, mudar posição de botões, instalar drivers adicionais, tweaks e programinhas bacanas. Minha intenção é falar realmente da parte que considero imprescindível - embora esse fator possa variar de um usuário para outro. Por isso também tentarei ser flexível ao máximo.

Para quem é usuário iniciante do Ubuntu, abaixo estão algumas instruções preciosas e que são válidas para a maioria das últimas versões lançadas.

Você acabou de instalar seu Ubuntu e está super animado para tirar proveito de todos os recursos que este excelente sistema operacional pode oferecer. Basicamente, você quer ter disponível programas / plugins / codecs para ouvir suas músicas preferidas, assistir videoclipes e DVDs de filmes, assistir aos vídeos do Youtube, etc. Neste artigo o objetivo não é aplicar alterações profundas no visual do sistema e muito menos sair instalando tweaks ou uma montoeira de softwares inúteis - mas sim tentar deixar seu Ubuntu bem completo para encarar qualquer tarefa trivial.

O Ubuntu já traz por padrão um conjunto elementar de softwares e codecs para que seu micro seja utilizável nas funções básicas daquilo que se espera de um sistema operacional, ou seja, logo após a instalação, você já poderá navegar na web, criar e editar documentos, ouvir músicas, visualizar fotografias, enfim, fazer aquelas tarefas cotidianas de todo mortal na frente de um computador.

Ora, se é assim, então para que instalar mais coisas? Bom, a verdade é que o Ubuntu traz o essencial - e isto significa o essencial mesmo, ou seja, apenas àqueles aplicativos mais comuns a todo e qualquer tipo de usuário. Se a Canonical -  a empresa responsável pelo Ubuntu - fosse agradar a todos os gostos teria que fornecer um DVD abarrotado de programas e isso certamente implicaria a inclusão de muitos softwares que não teriam qualquer utilidade alguma para a maioria das pessoas. Por outro lado, o conjunto que vem por padrão na instalação do Ubuntu, costuma significar uma limitação grande demais para grande parte dos usuários mais exigentes.

 Se você for um estudante universitário da área de ciências da computação, por exemplo, certamente vai querer usar o Lazarus e uma calculadora capaz de realizar cálculos binárias e hexadecimais; um produtor musical irá precisar do Ardour; e um desenhista gráfico irá depender do Gimp, Inkscape e do Scribus. Então a questão do que é um software imprescindível é um fator bastante relativo. Entretanto, em meio a todos os gostos e necessidades, não há quem resista a uma boa música ou um filme de vez em quando. Só que o conjunto que vem no Ubuntu é possível que esbarre em algum arquivo de formato não compatível, principalmente se durante a instalação você não selecionou a opção de instalar softwares de terceiros. Além disso, vale mencionar que muitos outros softwares não podem vir por padrão no Ubuntu devido a restrições legais de licenciamento, mas nada o impede que você mesmo o instale posteriormente de maneira absolutamente legal. Então, vamos ao que interessa!


LEIA CADA PASSO COM ATENÇÃO.
NÃO FAÇA NADA SEM ANTES TER LIDO E COMPREENDIDO O QUE ESTÁ ESCRITO.



Quase tudo que venho explicando aí abaixo é possível fazer tranquilamente através de modo gráfico dentro da Central de Programas do Ubuntu - que é uma ferramenta intuitiva muito fácil de usar. Na Central de Programas basta localizar o software desejado e clicar em instalar. Não é preciso fazer mais nada, todo o restante fica por conta do Ubuntu. Só que pela quantidade de recursos que você estará implementando é muito mais eficiente você trabalhar diretamente no terminal.

Embora quase tudo no Ubuntu possa ser feito através de uma interface gráfica, o terminal é um jeito prático e eficiente de se fazer múltiplas tarefas a uma velocidade incrível.

Então, parar tornar o Ubuntu ainda mais perfeito vamos usar linhas de comando - o que não é nenhum bicho de sete cabeças. 

Com os comandos abaixo o Ubuntu se tornará compatível para a leitura de praticamente qualquer tipo de formato multimídia existente, incluindo todos os formatos até mesmo desconhecidos de áudio e vídeo, instala poderosos visualizadores de imagens e ainda acrescenta uma pancada de recursos extras de fazer cair o queixo.

Além disso, nos comandos também há instruções para instalar compactadores e descompactadores para abertura de todo o tipo de arquivos compactados, seja ZIP, RAR, ARJ, 7z e outros.

Basta copiar e colar os comandos no terminal, depois do ~$, e em seguida dar ENTER.

Para copiar os comandos, basta selecioná-los e usar o velho e conhecido CTRL+C. Para colar no terminal do Ubuntu o atalho é CTRL+SHIFT+V e depois é só dar o ENTER para o comando ser executado.

Ao dar ENTER o terminal irá pedir que você digite sua senha de administrador, que você criou durante a instalação do Ubuntu. Ao digitar a senha não vai aparecer nada, mas não se preocupe que é assim mesmo. Depois de digitar a senha é só dar ENTER e deixar a coisa rolar.



1ª etapa - tornando seu Ubuntu ainda mais poderoso:


Os comandos abaixo irão instalar algumas coisas mágicas no Ubuntu e vai tornar o sistema apto a identificar e tocar qualquer tipo de arquivo de mídia, bem como descompactar praticamente todo tipo de arquivo compactado. 

sudo apt-get install ubuntu-restricted-extras faac faad ffmpeg ffmpeg2theora flac flashplugin-installer icedax id3v2 lame libflac++6 libavformat-extra-53 libavcodec-extra-53 libjpeg-progs libmpeg3-1 mencoder mjpegtools mp3gain mpeg2dec mpeg3-utils mpegdemux mpg123 mpg321 regionset sox uudeview vorbis-tools x264 cabextract arj lha p7zip p7zip-full p7zip-rar unrar unace-nonfree gstreamer0.10-ffmpeg gstreamer0.10-plugins-bad gstreamer0.10-plugins-ugly

Prosseguindo, o comando abaixo instala alguns itens opcionais e seu uso vai depender do gosto de cada usuário. Vamos aos itens: uma poderosa ferramenta para gravação de CDs e DVDs - o K3B; o inigualável player de audio/vídeo VLC - que é pau para toda obra; o visualizador de documentos PDF Okular - que na minha opinião é superior até mesmo ao Adobe Reader; vai instalar o Gwenview que considero um dos mais perfeitos visualizadores de imagens que existe; e também o SMPlayer que é um reprodutor multimídia e interface gráfica para o MPlayer, com codificadores nativos e que consegue reproduzir a maioria dos formatos de vídeo e áudio sem a necessidade de codificadores extras.

Em relação ao K3B há quem prefira o Brasero - que já vem instalado por padrão no Ubuntu. O Brasero realmente é muito eficaz, extremamente intuitivo e cumpre bem o seu papel. Se você não quiser o K3B, não tem problema algum, apenas remova a última parte do código abaixo, onde aparece escrito 'k3b'. Qualquer outro software que você não queira, basta apagar da linha de comando o nome do respectivo software.

sudo apt-get install vlc smplayer okular gwenview k3b

Instalando o suporte a reprodução de DVD encriptado

Para ativar o suporte a reprodução de DVD encriptado é necessário instalar a biblioteca livdvdcss, para isso, abra um terminal e faça o seguinte:

Passo 1. Instale a biblioteca libdvdread com o seguinte comando:

sudo apt-get install libdvdread4

Passo 2. Execute o script de instalação da livdvdcss com o seguinte comando

sudo /usr/share/doc/libdvdread4/install-css.sh

2ª etapa - instalando o Java:



A internet já tem milhões de tutoriais sobre este assunto, porém a dica abaixo considero preciosa! É a que sempre deu absolutamente certo comigo. Definitivamente vi isso resolver os meus problemas e de muitos usuários que costumam me pedir socorro após terem tentado de tudo para fazer o Java funcionar.

O Java é uma linguagem de programação criada pela Sun Microsystems e funciona independente de plataforma. Desde que a Oracle adquiriu a Sun, o Java sofreu alterações nas suas licenças de uso, que outrora eram livres de utilização. Uma dessas alterações tornou proibitivo a inclusão dos pacotes Java nos repositórios oficiais do Ubuntu desde a versão 11.10 - a Oneiric Ocelot.

A consequência direta disso é o fato do Ubuntu não poder mais disponibilizar, de forma automática, o Java - da Oracle - dentro dos seus repositórios. Assim, os desenvolvedores do Ubuntu passaram a fornecer o OpenJDK que serve praticamente para a maioria das necessidades dos utilizadores normais.

Com o Java é possível carregar pequenos programas junto com o navegador da internet. No entanto, há situações em que é indispensável possuir o Java da Oracle, notadamente para acessar sites de bancos. Aí que começam os problemas. A Oracle, com seu novo licenciamento, exige que se instale o Java através do site deles. Até aí tudo bem, a questão não é ir até lá buscar o Java. O problema é o encrencado processo de instalação, capaz de causar arrepios até mesmo em usuários habituados com o terminal. Mas aqui vou apresentar uma solução 100% eficaz, funcional e extremamente simples!

A proposta resume-se em adicionar um repositório que inclui o pacote do Oracle Java e depois proceder normalmente a instalação conforme acontecia antes do licenciamento.

Para o Java funcionar logo de cara, de forma definitiva e sem problemas, siga o esquema abaixo. Digite a sequência a seguir no terminal, uma linha de cada vez:

sudo add-apt-repository ppa:webupd8team/java
sudo apt-get update
sudo apt-get install openjdk-6-jre
sudo apt-get install openjdk-7-jre
sudo apt-get install openjdk-6-jdk
sudo apt-get install openjdk-7-jdk
sudo apt-get install oracle-java7-installer
A primeira linha acima é a responsável por adicionar no Ubuntu o repositório que contém o Java. Depois do processo de adição do repositório estar concluído, basta atualizar a lista de pacotes disponíveis através do comando 'sudo apt-get update'. Depois disso seu Ubuntu já terá acesso aos pacotes de instalação do Oracle Java. As linhas seguintes instalam o OpenJDK - uma versão open-source da plataforma Java SE, nas versões 6 e 7, nos ambientes JRE e JDK.

O JDK (Java Development Kit) é um mega pacote que traz todo o ambiente necessário para desenvolvimento e execução de aplicativos em java e também o JRE.

O JRE (Java Runtime Envirorment) é o ambiente de execução Java e é o que faz rodar um aplicativo Java. Quando o navegador alerta sobre a necessidade do Java, ele se refere ao JRE.

A última linha, enfim, é a que instala o nosso alvo - o Java 7 da Oracle.

A instalação disso tudo é questionável, eu sei. Mas sei também que este é o método (até então o único método que pude experimentar) que sempre tem apresentado total eficácia comigo e com outros usuários, sem encheção de saco, inclusive solucionando de vez os problemas de acesso aos problemáticos internet bankings do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal.

Terminado, você poderá certificar-se que o Java está instalado, ativo e funcionando perfeitamente ao aplicar o seguinte comendo:

java -version

Se tudo estiver correto, deverá aparecer algum resultado semelhante a isto:

java version "1.6.0_30"
OpenJDK Runtime Environment (IcedTea6 1.13.1) (6b30-1.13.1-1ubuntu2~0.12.04.1)
OpenJDK 64-Bit Server VM (build 23.25-b01, mixed mode) 

Agora use este comando:

javac -version

O resultado deve ser algo mais ou menos assim:

javac 1.6.0_30

Se você tem conta em algum banco, pode ir lá no site e abrir o internet banking sem receio que irá funcionar tudinho, sem o navegador reclamar. Se você ainda não se convenceu, veja o teste de verificação do Java no próprio site da Oracle:



3ª etapa - instalando o navegador Google Chrome:




O Chrome não chega a ser uma unanimidade total entre os usuários, mas não dá para ignorar a importância do navegador do Google no cenário mundial, chegando a destronar até mesmo o reinado do poderoso Internet Explorer. Se você for como eu que não vive sem o Google Chrome, não perca tempo. Acesse o link abaixo, faça o download do Google Chrome para Ubuntu e depois é só ir na pasta "Downloads". Para instalá-lo, dê dois cliques com mouse no arquivo de instalação.


4ª etapa: instalando o corretor ortográfico e gramatical Vero:



O Vero é um complemento fantástico. Foi o primeiro corretor ortográfico a ser totalmente compatível com a nova reforma ortográfica da língua portuguesa e é muito eficaz nesse sentido.

Corretores ortográficos são ferramentas indispensáveis para qualquer tipo de usuário. Mesmo os mais letrados não estão isentos de sem querer esbarrar o dedo numa determinada tecla e um erro descomunal passar batido na grafia de algum texto sério e importante. Além disso, por mais que leiamos um texto diversas vezes, dificilmente identificamos um erro. Isso porque o nosso cérebro armazena imagens de palavras inteiras, e não as letras que as formam e interpreta aquilo que é lido, contornando as falhas.

Como o Vero tal situação é evitável, já que ele grifa as palavras incorretas para que o usuário possa verificar se é aquilo mesmo que ele pretende escrever. Mas não é só isso não. Muitos erros óbvios cometidos durante a digitação de um texto provavelmente você nem irá perceber. O Vero corrige automaticamente uma quantidade enorme de palavras incorretas. A correção é feita em tempo real, ou seja, conforme você escrever errado, o Vero imediatamente cuida de modificar a palavra incorreta para a escrita correta.

Mas não pense que acabou não. O Vero também corrige erros gramaticais. Isso mesmo, o Vero é capaz de identificar um conjunto enorme de erros onde o problema não estão nas palavras, mas na gramática. Para corrigi-los, ele mostra não só onde está o problema, mas também alerta sobre o tipo de erro e sugere a modificação adequada. Observe um exemplo exibido na imagem acima, onde há um problema de concordância nominal na frase, em que o artigo e o substantivo não se harmonizam. O Vero grifou a sequencia e sugeriu as alterações que seriam corretas.

Os números do Vero impressionam. De acordo com Raimundo Santos Moura - responsável pela coordenação do Vero - são mais de 10 milhões de palavras contempladas, incluindo-se flexões e derivações, e mais de 12 mil linhas de código para identificação de falhas gramaticais. Isso coloca o Vero em pé de igualdade aos melhores do mercado.

Pois bem, você pode baixar o corretor ortográfico e gramatical Vero no link abaixo:


Depois abra o Writer, vá no menu Ferramentas, Gerenciador de Extensão...
Na nova janela clique no botão "Adicionar", localize o arquivo baixado e pronto!

Tecnicamente este artigo termina por aqui. Se você quiser prosseguir, abaixo escrevo sobre outros softwares que podem ser bastante úteis, mas que dependerá basicamente do uso que você faz do computador, seja a nível profissional ou doméstico. 

5ª etapa: indo um pouco mais longe




Existem outros softwares que talvez sejam interessantes de possuir em seu Ubuntu. Não são necessariamente imprescindíveis, mas são extremamente úteis no que fazem e você poderá precisar deles algum dia. Neste artigo não vou entrar em detalhes sobre as características de cada um, mas devo afirmar que tem muita gente que não vive sem eles:
  • Editor de fotografias - Gimp: sudo apt-get install gimp (é recomendável instalar também gimp-data-extras, usando o comando sudo apt-get install gimp-data-extras)
  • Comunicação online - Skype: sudo apt-get install skype
  • Player de áudio - Audacious: sudo apt-get install audacious
  • Criador de etiquetas - gLabels: sudo apt-get glabels


6ª etapa: softwares especialistas


Blender, aclamado software open source capaz de criar impressionantes trabalhos de animação e modelagem 3D


Abaixo, para finalizar, o blog +Valeu Cara traz uma lista com 30 dicas de softwares - alguns com uma certa fama e outros quase desconhecidos, mas que nem por isso deixam de ser importantes. Vários desses softwares são de uso bastante restrito atendendo a profissionais que atuam em áreas específicas e seu uso exige um nível de conhecimento considerável. Outros já são mais voltados para usuários domésticos que gostam de extrair o áudio de CDs ou baixar vídeos do Youtube. Quase todos os aplicativos abaixo podem ser instalados de forma gráfica pela Central de Programas do Ubuntu ou pelo Gerenciador de Pacotes Synaptic - que também é uma ferramenta gráfica muito eficiente para instalação de softwares.


  1. Diagramação / finalização gráfica - Scribus: sudo apt-get install scribus
  2. Editor de desenhos vetoriais - Inkscape: sudo apt-get install inkscape
  3. Edição de áudio - Audacity: sudo apt-get install audacity
  4. Gestão financeira - Gnucash: sudo apt-get install gnucash
  5. Astronomia 1 - Stellarium: sudo apt-get install stellarium
  6. Astronomia 2 - Celestia: sudo apt-get install celestia
  7. Calculadora científica - Kcalc: sudo apt-get install kcalc
  8. Calculadora de precisão - SpeedCrunch: sudo apt-get install speedcrunch
  9. Modelagem 3D - Blender: sudo apt-get install blender
  10. Ambiente de Programação - Lazarus: sudo apt-get lazarus
  11. Química - Kalzium: sudo apt-get kalzium
  12. Edição/Gravação de áudio multicanais - Ardour: sudo apt-get install ardour
  13. Matemática - GeoGebra: sudo apt-get install geogebra
  14. Cliente FTP - Filezilla: sudo apt-get install filezilla
  15. Editor HTML - BlueFish: sudo apt-get install bluefish
  16. Compartilhamento de arquivos - QBittorrent: sudo apt-get install qbittorrent
  17. Automação comercial - Stok: Executar os passos: 1) sudo apt-add-repository ppa:stoq-dev/lancamentos 2) sudo apt-get update 3) sudo apt-get install stoq
  18. Editor de partituras musicais - MuseScore: sudo apt-get install mscore
  19. Sequenciador MIDI multipistas - Rosegarden: sudo apt-get install rosegarden
  20. Autoração de DVDs - DVD Styler: sudo apt-get install dvdstyler
  21. Edição profissional de vídeos - Cinelerra: Executar os passos: 1) sudo add-apt-repository ppa:cinelerra-ppa/ppa 2) sudo apt-get update 3) sudo apt-get install cinelerra-cv
  22. Edição profissional de vídeos 2 - Lightworks: acesse este link para baixar a versão DEB: http://www.lwks.com/betas-linux
  23. Edição doméstica de vídeos - Kdenlive: sudo apt-get install kdenlive
  24. Conversão de formatos de áudio e vídeo - Winff: sudo apt-get install winff (é recomenvável instalar libavcodec-extra-53 usando o comando: sudo apt-get install libavcodec-extra-53)
  25. Extrator de áudio CD - Sound Juicer: sudo apt-get install sound-juicer
  26. Ferramenta de Cad - BRL-Cad: Executar os passos: 1) Baixe o BRL-Cad neste link: http://sourceforge.net/projects/brlcad/files/BRL-CAD%20for%20Linux/7.24.0/ 2) Clique com o botão direito do mouse sobre o arquivo baixado. No menu que aparece clique em "Abrir com a Central de Programas do Ubuntu". 3) Quando a Central de Programas estiver completamente carregada, clique no botăo "Instalar". Aguarde a instalação.
  27. Baixar vídeos do Youtube - All Video Downloader: Procure pelo software na Central de Programas do Ubuntu.
  28. Baixar vídeos do Youtube 2 - xVideoServiceThief: sudo apt-get install xvst
  29. Baixar vídeos do Youtube 3 - Minitube: sudo apt-get install minitube
  30. Informações do hardware do seu micro - Hard Info: sudo apt-get install hardinfo

Ainda há muitos outros softwares de ponta que poderiam ser incluídos na lista acima. Porém o objetivo deste artigo não é ser um compêndio completo dos softwares disponíveis do mundo open-source. Aqui você já tem itens suficientes para ter todas as ferramentas de que precisa no seu dia-a-dia.

O mundo do software livre tem avançado de forma muito rápida. Em muitos casos, alguns programas open-source já tem superado em muito as qualidades e os recursos de qualquer outro equivalente proprietário. Acrescenta-se o fato de que o ritmo de desenvolvimento do software livre tem sido de tirar o fôlego. Certamente, no decorrer dos próximos anos, ainda teremos muitas novidades empolgantes nessa área.


Participe deixando seu comentário, dúvida, sugestão, ideias, críticas, exemplos ou o que você quiser na parte de comentários desta postagem. Sua participação é extremamente importante para que este blog esteja sempre melhorando o seu conteúdo. Fique por dentro das atualizações do blog: