sexta-feira, 31 de maio de 2013

Os alienígenas chegaram! Domine essa invasão usando o Gimp...



Neste tutorial os alienígenas chegaram para destruir, imagine só, o Congresso Nacional em Brasília! Baseando-me numa das célebres cenas do famoso filme de ficção científica Independence Day (O Dia da Independência, do diretor alemão Roland Emmerich, 1996) - onde uma gigantesca nave destrói a Casa Branca, em Washington - irei recriar o cenário de devastação numa imagem bem familiar aos brasileiros.


Para criar essa imagem, usarei elementos que você jamais poderia imaginar, como uma inocente nuvem pairando no céu e até uma couve-flor. Não, não escrevi errado. É isso mesmo que você leu! Para compor um dos cenários da imagem usarei uma couve-flor - a hortaliça que é usada em saladas. O trabalho também contará com uma participação especial do software Inkscape, onde criarei dezenas de partículas fictícias que serão replicadas sobre a área das explosões na imagem.

Veremos como estilizar as imagens envolvidas em nossa arte, para explodir com tudo, usando filtros, transparências, pincéis especiais, estilos de camadas, imagens, efeitos de iluminação e uma pancada de outros recursos. Para seguir este tutorial é necessário que você tenha um conhecimento básico do Gimp e do uso de suas ferramentas, assim como um mínimo de conhecimento sobre edição de imagens.

Este tutorial apenas lhe dá diretrizes para que você possa criar a sua própria arte. As informações apontadas não se tratam, necessariamente, que você deverá seguir tais parâmetros. Muito dos recursos que usei aqui poderá variar de uma imagem para outra. Caso queira seguir este tutorial, recomendo que experimente testar novos parâmetros para alcançar efeitos ainda mais fantásticos e realísticos.

1º passo
Abra a imagem de uma cidade, de preferência uma fotografia tirada ao nível do solo, e que tenha em primeiro plano um edifício em evidência. Neste tutorial usarei uma foto do nosso querido Congresso Nacional, que será o alvo da gigantesca nave dos alienígenas.


2º passo
Na aba "Camadas", clique com o botão direito do mouse sobre a imagem que estamos editando e escolha "Duplicar Camada". A guia de camadas irá exibir duas camadas com a mesma imagem.


3º passo
Agora iremos trabalhar na primeira camada (a camada de cima). Na barra de ferramentas, use a ferramenta "Seleção Livre" para cuidadosamente vir selecionando o céu, isolando-o de todo o restante da paisagem. 


4º passo
Após terminar de selecionar todo o céu, vá ao menu Camada, Transparência, Adicionar Canal de Transparência. No teclado, aperte "Delete"


A princípio, parecerá que nada aconteceu. Mas lembre-se que estamos trabalhando com duas camadas da mesma imagem. O que você acaba de fazer é eliminar todo o céu da camada superior. Como abaixo existe outra camada visível contendo a mesma imagem, parece que nada aconteceu. Mas se desativarmos temporariamente a visualização (no ícone do olhinho) da camada inferior você verá que o céu que anteriormente existia em nossa paisagem desapareceu.


Observe abaixo como está a nossa Guia de camadas.



5º passo
Trabalhando com as nossas duas camadas visíveis e por enquanto somente em nossa camada superior, vá ao menu "Cores, Curvas de cores...". Na janela que se abre, selecione o canal vermelho e use o mouse para mover a linha diagonal de maneira que fique aproximadamente conforme a imagem abaixo. Isso irá atribuir uma tonalidade ligeiramente avermelhada na imagem que estamos trabalhando. Dê Ok.


6º passo
Duplique a camada superior. Agora teremos três camadas. Na primeira camada, a que aparece acima de todas, defina o modo de transparência da camada em "Multiplicar".


7º passo
Defina a cor de primeiro plano como ffff00 como mostra a imagem abaixo. O que queremos é a cor amarela.


8º passo
Vá no menu "Camadas, Nova camada...". Defina essa nova camada com a cor do primeiro plano.


Nossa imagem ficou toda amarela! Não se preocupe. Defina o modo dessa nova camada como "Multiplicar"


Até aqui nosso resultado está assim:


9º passo
Agora defina a cor do primeiro plano como "ff0000", ou seja, vermelho. Clique na última camada (a que está abaixo de tudo) com o botão direito do mouse e selecione a opção "Nova camada". Defina essa nova camada com a cor do primeiro plano e aplique o modo "Multiplicar".


Clique com o botão direito do mouse na camada que possui preenchimento na cor vermelha (esta que aparece assinalada na figura acima), e escolha a opção "Combinar abaixo". Nossa imagem, até aqui, está com a aparência abaixo:


10 passo
Procure na internet uma imagem que se assemelhe a uma explosão de luz muito intensa. Mas não pode haver outros objetos interferindo na imagem. A imagem deverá mostrar apenas o brilho dessa luz e nada mais.

Se você quiser, também poderá usar um pincel de efeito especial de iluminação.
Aqui neste artigo você encontra alguns que podem ser usados para obter resultados surpreendentes.


Como meu o objetivo é também mostrar algumas funcionalidades do Gimp, estarei usando a imagem acima para atingir o efeito desejado em nossa destruição alienígena. Um recomendação é que você experimente variar, pois muitos efeitos interessantes podem ser obtidos. A dica aqui é que você entre no Google Imagens e procure por "light". Lá você encontrará milhares de fotos que podem produzir resultados fantásticos para o que queremos.

11º passo
Adicione a imagem da explosão de luz. Use as ferramentas de dimensionar e mover para encaixá-la à nossa arte. No meu caso, distorci propositalmente a altura dos raios luminosos, esticando-os mais para os lados e  escolhi o posicionamento na base dos edifícios, como pode ser observado na imagem abaixo.


A dica que dou é que todo o perímetro e o foco dos raios luminosos devem ficar adequadamente posicionados por trás dos edifícios e na altura do horizonte. É o que irei fazer agora. Usarei o botão esquerdo do mouse para arrastar a camada da explosão de luz para a posição acima da camada de fundo.


Nosso quadro de camadas deverá ficar assim:


E assim está nossa imagem:

12º passo
Aplique à nossa camada de explosão de luz o modo de transparência "Luz forte".


Isso provocará em nossa explosão de luz um modo de mesclagem bastante especial, atribuindo transparência nas áreas mais escuras e um nível de opacidade extremamente vívido, com grande intensidade, nas área mais claras.

Como a nossa imagem da explosão de luz possuía alguns feixes ultrapassando os limites da foto, é possível que resultado mostre uma sobra mais clara, como uma linha reta que delimitada a própria imagem, conforme observa-se abaixo:


Use a ferramenta borracha com o formato "Hardness 025"...


...escolha um tamanho adequado à sua foto e, com cuidado, apague toda a linha reta daquele sombreado mais claro, com atenção para não apagar os feixes de luz.


13º passo
No quadro de camadas, clique com o botão direito do mouse na segunda camada e escolha a opção "Combinar abaixo" mesclando as duas camadas dos prédios.


Agora clique com o botão direito na primeira camada (a do quadro amarelo) e repita o mesmo procedimento.


Você deve ter percebido que inicialmente mesclamos as duas camadas intermediárias que estavam na segunda e terceira posição. Depois passamos para a primeira camada, que também acabou se unindo com essa mesma camada que já havia sido mesclada anteriormente. Não seria mais prático começar a mesclar partindo da primeira camada? A resposta é sim, mais prático até que seria. Porém isso prejudicaria o resultado desejado. Essa sequência não foi escolhida aleatoriamente. Ao mesclar a segunda com a terceira camada foi possível preservar o modo de opacidade que vinha sendo mantido desde o 6º passo. Após isso, ao mesclar a primeira camada com a segunda, também fixamos definitivamente o efeito aplicado lá no 8º passo. Como resultado, a nossa camada de explosão de luz que até aqui se mostrava com um aspecto exageradamente amarelado - pois estava sob a influência da primeira camada - agora pôde revelar todo seu brilho, ganhando um novo e irradiante destaque. Veja como ficou:


14º passo
Vamos começar a trabalhar agora nas áreas com janelas. Neste exemplo, todo o pavimento térreo merecerá uma atenção especial, já que existem vidraças de um canto ao outro da estrutura do prédio.

O que precisa ser feito é usar a ferramenta de seleção livre para contornar toda a área onde há janelas. Isso deve ser feito com cuidado para que seja preservado a estrutura de concreto. Use o modo "Adição" para selecionar janelas adjacentes e o modo "Subtração" para eliminar eventuais rebarbas.


Recomendo criar uma cópia dessa seleção, colando em uma nova camada toda essa área que foi selecionada e trabalhando a partir da cópia. Fica ao seu critério. Estando todas as vidraças do andar térreo selecionadas, diminua um pouco o brilho, no mesmo menu, escolhendo "Cores e Contraste..." Ajuste a barra deslizante para que a área selecionada assuma um tom alaranjado, mas não muito brilhante.


Por fim, ainda dentro do menu "Cores", use a ferramenta "Equilíbrio de cores" e depois ajuste a "Saturação de matiz" para intensificar um pouco mais o aspecto. Aqui não há uma regra ou valores a serem rigorosamente seguidos, pois cada imagem poderá depender de configurações diferentes. Basicamente a intenção é que o resultado dessa área selecionada atinja um tom alaranjado.

15º passo
Duplique novamente a capada dos prédios (aquela que mesclamos no 13º passo). Trabalhando na camada duplicada de cima, ajuste Cores, Colorizar, conforme a imagem abaixo.


Aqui o quadro de camadas passou a ficar conforme mostra a figura abaixo. Note que na camada do prédio onde aplicamos o ajuste descrito acima teve sua coloração alterada para um tom azulado.



Até aqui preparamos o cenário. Agora chegou a hora de começarmos a explodir com tudo

16º passo

Duplique a camada do prédio azulado e volte a duplicá-la mais uma vez, para que fiquemos com três camadas do mesmo prédio azulado. Trabalhando com a camada superior desses prédios, pegue a ferramenta de seleção elíptica e demarque uma área grande pegando toda a parte do alto dos prédios.



Vá em Filtros, Ruído Visual, Escolher. Defina os valores conforme mostrado abaixo.



Diminua a seleção elíptica, mantendo o foco na parte de cima do prédio, vá em Filtros, Repetir "Escolher"


Mescle com a camada de baixo, e volte mais uma vez aplicando os mesmos filtros.

17º passo

Pegue o pincel de sub-exposição e utilize o modelo "Chalk 01".  


Ajuste o tamanho do pincel de acordo com a sua imagem e acione o pincel sobre a área dos prédios onde foi aplicado o filtro de ruído visual. Faça isso dando dois ou três cliques, mas sem exercer movimentos com o pincel.


18º passo

Para um resultado mais realístico, vamos aplicar a imagem de uma explosão com o modo de opacidade definido como "adição". Usarei uma imagem que esteja livre de outros elementos e mostre apenas a explosão em si. Todas as explosões mostradas neste tutorial serão formadas a partir dessa única imagem.


Aqui, chegamos a este resultado:


Agora iremos usar a imagem de nuvens para incrementar nossa explosão:


Posicione a imagem da nuvem no alto do edifício


Usando a ferramenta Borracha, apague com cuidado a área de céu entorno das nuvens. Depois vá ao menu Cores, Colorizar... e defina conforme mostrado abaixo:


Para obter efeito mais realístico, você precisará repetir este passo três a quatro vezes, alternando o tamanho das nuvens, lembrando sempre que você deve eliminar as áreas adjacentes que não interessam.


Confira o resultado até aqui:


A mesma explosão aplicarei um pouco mais abaixo, repetindo o mesmo procedimento e também será aplicada nas vidraças do saguão no térreo.

19º passo
Bom, toda explosão que se preze gera uma violenta massa de ar sendo deslocada e nada melhor para representar isso do que milhares de destroços voando para todos os lados. Então, chegou a vez do Inkscape entrar em cena. Nele irei desenhar dezenas partículas aleatórias que irão acrescentar ainda mais realismo na explosão.


O resultado da imagem das partículas que irei usar ficou assim:


Apliquei várias camadas das partículas acima na imagem, ocupando vários níveis de camadas intermediárias à explosão e à nuvem. Dessa forma, temos a ilusão de ótica de que os fragmentos estão saindo de "dentro da explosão". Essas camadas de partículas foram distribuídas em redor do foco da explosão, e redimensionadas em diversos tamanhos, rotacionadas e invertidas.

O toque final veio com o filtro de desfoque gaussiano (Filtros, Desfocar..., Desfocagem gaussiana...). Todas essas camadas de partículas receberam vários níveis de desfoque. Nas camadas onde as partículas ficaram maiores com o redimensionamento, o raio de desfocagem foi definido com o valor por volta de '20'. Camadas de partículas menores recebeu o valor aproximado de '10'. Por fim, conjunto de partículas bem pequenas recebeu o valor até '5' no raio de desfocagem, como mostra a figura abaixo. 


Veja no resultado abaixo que há partículas com desfoque mais intenso e outras nem tanto. O uso do desfoque atribui a ilusão de velocidade numa imagem, gerando a ideia de que as partículas estão sendo lançadas longe. O efeito também serve para regular o desfoque natural da imagem fotografada com o conjunto de partículas.


Repetindo o mesmo procedimento numa área área das vidraças do andar térreo...


Outra vez...


20º passo
Agora chegou o momento de entrar em cena a belíssima couve-flor. Sua tarefa será incrementar uma grossa nuvem de fumaça que irá aparecer por trás do prédio.

Mas por que uma couve-flor?

Como estou criando um cenário fictício, a ilusão de ótica pode ser explorada até os limites da imaginação. Qualquer coisa pode ser usada para atingir o resultado mais próximo do desejado. A intensão aqui é gerar uma grossa nuvem, semelhante à densa fumaça gerada por explosão vulcânica. O que poderia ser feito é usar a ferramenta de seleção do Gimp para capturar uma dessas imagens de uma fotografia real. O problema de se capturar a fumaça de vulcões é que seu estilo é em forma de colunas verticais e sua aplicação não viria ao caso aqui.

Outra coisa que poderia servir é uma nuvem cúmulo nimbo bem carregada, mas não encontrei nenhuma imagem adequada.

Se você reparar um pouco, perceberá que a textura da inflorescência da couve-flor pode muito bem ser usada para simular nossa densa fumaça.


Usando a ferramenta de seleção livre do Gimp, eliminaremos as folhas e pegaremos a parte central da hortaliça.

Feito isso, posicionei a camada da imagem recortada da couve flor por trás dos prédios, no canto direito da imagem. Não irei mencionar pormenores desse procedimento, pois trata-se de algo já feito anteriormente, no 11º passo.

A cor natural da couve-flor não ajuda muito na composição de nossa imagem. Mas isso não é problema. No menu "Cores, Brilho e Contraste", vou dar um jeito nisso eliminando todo o aspecto claro da hortaliça. Ao ajustar o brilho para o valor "-127" como visto na imagem abaixo, a couve-flor ficará com um jeitão de podre. Não se preocupe com isso.



A partir de agora, é necessário esquecer de vez que a imagem que aparece atrás dos prédios é uma couve-flor. A partir daqui, será uma densa nuvem de fumaça. Vamos dar mais um ajeitada especial na sua cor, indo em "Cores, Colorizar...". Os ajustes serão feitos conforme janela abaixo:


Finalmente, para incrementar nossa densa fumaça, aplico o desfoque gaussiano de valor '5' e acrescento duas explosões em meio à densa fumaça. Observe o resultado na figura abaixo:


21º passo
Agora, irei acrescentar a nave. O modelo utilizado será o da imagem abaixo:


Usando a ferramenta de seleção livre do Gimp, isolo na nave do restante da imagem...



22º passo
Após posicionar a nave recortada à imagem que vem sendo trabalhada, é necessário dar início à criação do poderoso raio de luz responsável pela destruição, conforme ocorre no filme.


Em uma nova camada, usarei a ferramenta de seleção retangular para criar uma área que vai da região central da nave até o foco das explosões. Note que é importante que a abertura central da nave esteja perfeitamente apontado para a explosão.


A área selecionada será preenchida de branco. Após o preenchimento, vamos aplicar um efeito de iluminação, indo em "Filtros, Sombra e luz, Sombra projetada...". Apesar do filtro ter o nome de "sombra projetada" ele serve para múltiplas funções, inclusive para adicionar efeitos de brilho. Usarei a configuração conforme a janela abaixo. A cor azul possui o valor "00bcff".


Agora usarei algumas pinceladas individuais do pincel 'Acrylic 03' e 'Acrylic 05' para recriar os fragmentos de raios luminosos, igual no filme. Após, aplico mais uma vez o mesmo filtro de sombra projetada, conforme explicado acima. Por fim, é necessário recriar as portas do compartimento onde sai o raio de luz.


Detalhe das portas da área central, onde sai o raio de luz:


Finalmente, dando alguns retoques e eliminando pequenas rebarbas, aí está a imagem finalizada.

Brasília - Independence Day


Espero que tenha gostado.

Clique aqui e receba novidades do blog Valeu Cara por email